Writers Block – O Bloqueio do Escritor

Alguma vez ouviram falar nisto? Claro que sim! Aquele pedaço de tempo (curto, longo ou muito longo) em que um artista, seja qual for a forma de expressar a sua arte, bloqueia e não consegue criar absolutamente nada. E tudo aquilo que consegue extrair a custo da sua mente, lhe parece uma bela porcaria!

No caso é o apelidado Bloqueio de Escritor, mas talvez fosse mais adequado chamar-lhe o Bloqueio do Artista, ou o AVC do Criador ou mesmo o Fim da Carreira Artística. Mais adequado, não?!

Perfeccionismo, insegurança, dúvida, cansaço, auto-flagelação emocional, qualquer uma destas palavras (e todas elas em conjunto) servem para explicar aquilo que a mente dum artista com bloqueio de escritor sente. A dor excruciante de não conseguir ver o admirável mundo novo.

Ser perfeccionista é um problema grave. Muitos são aqueles que, durante largos períodos de tempo, não conseguem criar nada, porque nada é bom o suficiente para ser visto pelos outros.

Ser inseguro é outro problema. Há momentos em que não se questiona nada daquilo que se cria, mas em outros momentos tudo é alvo de dúvida, de segundas opiniões, de procurar nos outros aquilo que não se tem em si mesmo (e que não se obtém por osmose).

Duvidar daquilo que se criou, ou de si mesmo como criador é o prato do dia. Será que é bom o suficiente? Será que sei o que estou a fazer? Será que não ficaria melhor se fosse mais longo, ou mais curto? Mais alto, mais baixo ou mais imbecil???

O cansaço de acumular vários papéis nesta sociedade faz com que o artista relegue o acto de criar para segundo (ou mesmo terceiro) plano. Depois de dar o melhor da sua concentração, do seu cérebro e da sua vontade a terceiros, é difícil ainda ter vontade para se dedicar a criar algo. Porque tudo aquilo que se deseja é, depois de passar oito horas a teclar, ir para casa e continuar a acariciar a nossa tendinite de estimação.

Auto-flagelação emocional é uma constante, e pode agravar-se de tal modo que desemboque em depressões e em suicídio. As rejeições são difíceis de aceitar, as críticas demasiado assertivas para serem encaradas de ânimo leve para aqueles que não são bons a relativizar a derrota. E nem os derrotistas por natureza apreciam uma derrota…

Stephen King escreve em “On Writing” a seguinte frase:

“Sometimes you have to go on when you don’t feel like it, and sometimes you’re doing good work when it feels like all you’re managing is to shovel shit from a sitting position.”

Sem querer incutir qualquer moral a encerrar estas Palavras Soltas (porque tudo aquilo que possa ser afirmado entusiasticamente como estratégias para combater o Bloqueio irá sempre soar a bullshit), mas fazendo-o na mesma, é preciso continuar, mesmo que nos pareça que só conseguimos acartar merda, estando sentados… A questão é: Será que aguentamos o cheiro?!

E eles ainda dizem para escrever todos os dias, e para ler o máximo que se puder, e para aprender tudo aquilo que se conseguir… Haverá por aí algum Cérebro disponível??? É só um empréstimo!! Juro!

Deixem aqui os vossos comentários ou enviem e-mail para: sara.g.farinha@gmail.com

Uma opinião sobre “Writers Block – O Bloqueio do Escritor”

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *