A celebração da língua Portuguesa

Português – Língua falada por cerca de 200 milhões de almas, ocupa a sexta posição como língua nativa, oficialmente declarada em Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné-Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e Macau.

Uma evolução do Latim vulgar, trazido pelos Romanos, com dois mil anos de existência na Península Ibérica, que calcorreou mundo aquando do período das Descobertas Portuguesas e subsequente estabelecimento de um Império Colonial.

Originou várias línguas crioulas, um pouco por todo o mundo, e foi língua franca no Sri Lanka durante três centenas de anos.

É a 5ª língua mais falada no mundo, e a 3ª no mundo ocidental, e a única com duas ortografias oficiais (Novo Acordo Ortográfico).

É a única língua onde “saudade” existe e é inequívoca no seu significado, devido às tradições marítimas lusitanas.

Muitos consideram o dia 10 de Junho, o dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, como o dia da Língua Oficial Portuguesa. Outros prestam homenagem à língua de Camões hoje, dia 5 de Maio (CPLP).

Qualquer dia deveria ser um bom dia para o uso adequado da nossa língua materna, e para celebrar aquilo que é assassinado com tanta frequência. Este dia deve servir para homenagear e promover a educação e a cultura linguística no nosso país.

Aqui fica a minha homenagem e o meu apelo à estima desta parte, tão importante, da nossa identidade cultural.

 …………

Busque Amor novas artes, novo engenho

Pera matar-me, e novas esquivanças,

Que não pode tirar-me as esperanças,

Que mal me tirará o que eu não tenho.

Olhai de que esperanças me mantenho!

Vede que perigosas seguranças!

Que não temo contrastes nem mudanças,

Andando em bravo mar, perdido o lenho.

Mas, enquanto não pode haver desgosto

Onde esperança falta, lá me esconde

Amor um mal, que mata e não se vê.

Que dias há que na alma me tem posto

Um não sei quê, que nasce não sei onde,

Vem não sei como e dói não sei porquê.

Luis de Camões

…………….

Deixem aqui os vossos comentários ou enviem e-mail para: sara.g.farinha@gmail.com

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *