Recursos do Escritor: Os diferentes formatos da narrativa literária

Recursos do Escritor- Os diferentes formatos da narrativa literária

Estou consciente que definir limites precisos para uma subdivisão de formato vai gerar burburinho. Aparentemente, este é um dos temas que nunca gera consenso, pelo que deixo aqui uma modesta contribuição para o assunto.

Quero só relembrar que os limites das nossas histórias são criados por nós, logo a regra torna-se relativa, e dependente da expressão artística pessoal de cada um.

Nanoconto

É uma narrativa limitada a 140 caracteres que surgiu com a criação do Twitter. Ser conciso e não descritivo são características basilares deste tipo de narrativa.

Microconto (até 100 palavras)

É um conto muito pequeno que não sendo considerado um género literário em si mesmo, apresenta algumas características que o distinguem de um conto de curta dimensão. No miniconto a tarefa principal é sugerir, confiando na necessidade do leitor de preencher as elipses narrativas e entender, assim, a história subjacente.

Miniconto (entre 100 e 1.000 palavras)

É o tipo de miniconto que ocupa a página de uma revista. Habitualmente é humorística e muito popular pela rapidez com que é lida. Este formato contém os elementos clássicos de uma história, o protagonista, conflito, obstáculos e complicações e a resolução. Devido ao seu tamanho alguns destes elementos não serão descritos na história mas subentendidos, o que gera interpretações diferentes consoante cada leitor.

Conto (entre 1.000 e 7.500 palavras)

É o típico formato de conto usado em antologias do género e em revistas (papel ou e-zines). Contém os elementos clássicos de uma história apesar de estar limitado na quantidade de personagens e de enredos. Ver mais em: Estrutura Dramática de um Conto

Noveleta (entre 7.500 e 20.000 palavras)

Formato mais difícil de submissão em antologias, habitualmente o autor reúne 3 noveletas e publica a sua própria antologia. Mantém as características estruturais do Conto.

Novela (entre 20.000 e 50.000 palavras)

É um romance curto, adequado para publicação on-line e, aparentemente, menos apelativo para publicação. É um tamanho aceitável para um trabalho de não-ficção mas no caso de ficção, recai na categoria de demasiado curto para romance e demasiado comprido para Conto.

Romance (entre 50.000 e 110.000 palavras)

Um romance habitualmente publicado em livro. As 70.000 e 80.000 palavras são o tamanho mais seguro para publicação. Os livros maiores acarretam custos maiores e mais dificuldade em vender. Neste formato aplica-se a totalidade da estrutura dramática (Exposição, Conflito, Crise, Clímax e Resolução).

Épicos e Sequelas (mais de 110.000 palavras)

Com este tipo de formato é de ponderar a compactação do manuscrito num só livro, cortando partes do mesmo, ou separá-lo em vários volumes (sequela ou trilogia). No caso da  separação em volumes são necessários cuidados extra com a sequência, garantindo que a acção decorre de forma coerente e capaz de cativar o leitor em qualquer um dos seus volumes.

Pessoalmente, aventurei-me em pelo menos quatro destes formatos. Cada um deles, com as suas características distintas e objectivos definidos, transformaram-se em aventuras muito particulares. De todos os que experimentei o que menos me agrada é o Nanoconto. Não sou particularmente dotada para mensagens telegráficas.

ΦΦΦΦΦ

Deixem aqui os vossos comentários ou enviem e-mail para: sara.g.farinha@gmail.com

Um pensamento em “Recursos do Escritor: Os diferentes formatos da narrativa literária”

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *