Recursos do Escritor: O uso da vírgula

Recursos do Escritor- O uso da vírgula

Muitas são as brincadeiras a circular por aí que nos mostram a importância das vírgulas, e dos restantes sinais de pontuação, na compreensão de um texto. Tema sensível que é, e com o qual me debato diariamente, achei interessante usar este artigo para partilhar os meus apontamentos sobre o assunto.

A vírgula é um sinal de pontuação. Este serve para ajudar a clarificar a língua escrita e para torná-la mais expressiva. Como autores sabemos que é importante saber as regras, para depois aprendermos a brincar com elas, e a quebrá-las.

Partilho aqui alguns exemplos, baseados na gramática portuguesa, sobre o uso de vírgulas na composição frásica.

Usamos vírgula quando:

1. Respondemos a algo usando o ‘Sim’ ou o ‘Não’ como resposta:

– Sim, vou comer chocolate.

– Não, prefiro esperar pelo autocarro.

2. Usamos o vocativo (invocamos alguém) ou o aposto (uso de expressão que ajuda a caracterizar):

– Menino, fique calmo! (vocativo)

– O André, filho da Aurora, chora muito. (aposto)

3. Separamos termos independentes entre si, criando uma lista de elementos distintos:

– João, Maria, Alberto e Pedro foram para a escola.

– A rua, as casas, as pessoas, os automóveis fazem parte de Lisboa.

4. Apresentamos explicações ou mudanças de pensamento:

– Marco, o rapaz que entrega o jornal, não veio hoje.

– Tu e eu, gostando de sushi, devíamos ir experimentar o novo restaurante.

5. Dividimos local, tempo ou modo, sendo opcional no caso de consistir numa só palavra:

– Lá fora, está um tempo doentio.

– Na semana passada, todos vieram jantar aqui a casa.

– De um modo geral, não gostamos de visitas.

– Depois (,) vamos passear junto ao rio.

6. Apresentamos orações independentes (assindéticas):

– Acendeu um cigarro, cruzou as pernas, encostou a cabeça, demorou o olhar sobre o céu.

– Eu adoro chocolate, mas (porém/contudo/no entanto) não posso comê-lo porque me faz mal.

7. Excepcionalmente, antecede o “e” quando a frase seguinte fala de uma pessoa, coisa ou objecto diferente do anterior:

– O sol brilhava no céu, e a temperatura era agradável.

– O homem faleceu, e cada uma das suas casas foi vendida.

Aqui ficam. Espero que vos seja útil.

ΦΦ

Artigos Relacionados:

Regras para escrever bons diálogos

Pontuação nos diálogos

7 Técnicas de Escrita – Gerar, organizar e usar ideias

ΦΦΦΦΦ

Deixem aqui os vossos comentários ou enviem e-mail para: sara.farinha@sarafarinha.com

6 opiniões sobre “Recursos do Escritor: O uso da vírgula”

  1. Ai as vírgulas! Um dos meus pesadelos na escrita. Julgava eu que compreendia as regras, mas afinal estava enganda (e isto venho descobrindo ao longo dos anos. São traiçoeiras. Por exemplo, o ponto 5, sinceramente (quase) nunca uso nesses casos e sei de gente que acharia que está errado. Agora estou em dúvida …
    Mais uma vez, trouxeste um bom tópico para o blog.

    1. Também é um dos meus dilemas constantes. São muito traiçoeiras! Quanto ao ponto 5, a gramática define o uso da vírgula nestes casos. Se optares por não a usar podes sempre alegar liberdade criativa 🙂 Eu pretendo fazê-lo.

    1. Olá Luiza, concordo contigo. Mas, se a frase for curta e soubermos a regra, podemos quebrá-la. Confesso que não coloco vírgulas em todas as frases que se enquadram no exemplo do ponto 5. Bons escritos.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *