NaNoWriMo 2013 – Estão abertas as hostilidades!

InícioQuem anda nestas lides literárias, como escritor ou leitor, decerto já ouviu falar deste desafio. Aqueles que têm acompanhado este cantinho literário sabem que, todos os anos, gosto de partilhar a minha experiência.

Com o intuito de nos pôr a escrever, de nos retirar quaisquer bloqueios de escritor, de cimentar um sentimento de que pertencemos a uma comunidade, dispersa por esse mundo fora, mas comum na prossecução dos seus objectivos, o NaNoWriMo é o mecanismo em que podemos confiar para deixar algo de maior dimensão, a cada ano que passa.

Novembro é o mês do abandono literário, de fechar as portas ao mundo, e dedicar-se de corpo e alma àquilo com que nos debatemos a cada dia: assentar num papel o que nos mói e aquilo que nos ilumina a alma.

Mas, para chegarmos a Novembro, temos de preparar Outubro. Que é dizer que, para gerar 50.000 palavras, é preciso planear o que vamos escrever. Descobrir aquela ideia que nos fará regurgitar, pelo menos, 50.000 palavras pode ser esmagador. Com todos os mecanismos de defesa e ataque que possuímos, a tarefa torna-se ainda mais complicada quando almejamos a algo… mais.

(Sobre a ideia e a inspiração necessária para a descobrir e delinear, podem espreitar outros artigos aqui pelo blogue – como este artigo – ou em todo e qualquer lugar que vos seja propício para a actividade).

Para já, e neste primeiro vislumbre da preparação do NaNoWriMo 2013, quero avançar para o Plano.

Nos primeiros dias de Outubro é preciso definir:

  1. A história – o enredo, o objecto e objectivo da trama, as personagens, os conflitos determinantes, o ponto de vista a usar.
  2. A Estrutura (a de 3 actos, ou o que vos inspire) – os momentos de conflito, os pontos de viragem, o adensar da acção/emoção.
  3. A sinopse alargada (e a sinopse normal) – Um conjunto de duas a três páginas que explica, em traços gerais, o enredo.
  4. Lista de cenas (o planeamento até à exaustão que, dependendo do projecto, pode ser ou não o meu caso) – Uma lista dos momentos que compõem a história, que pode ser organizada cronologicamente, e permite a reorganização dos eventos de forma a servir melhor a história. Esta lista permite uma visão global dos momentos que vão compor a obra e das alterações que queiramos fazer.
  5. Cenas – A identificação cuidada de cada momento da história. O que se passa em cada momento, o objectivo da acção a decorrer, o significado e o enquadramento de cada bloco/cena, a alternância de tipos de cenas que nos permite envolver o leitor no conflito e na resolução.

 (Encontram mais sobre estes pontos aqui…)

Esta é a base que nos vai proporcionar uma visão global, definir a maioria dos objectos, objectivos e significados, e mexer na história testando o que funciona e o que devemos descartar. Nem todos os autores acreditam neste sistema, o que não é problemático, são apenas estilos de escrita e de planeamento diferentes. Mas, para aqueles que precisavam de um empurrãozito para começar, aqui fica este artigo.

Sobre o meu NaNoWriMo 2013:

Este ano decidi dedicar-me a um género diferente: ficção literária. Há vários meses que reúno excertos e ideias, limites e composições, personagens e enredos para um primeiro rascunho que, decerto, vai ficar aquém daquilo que pretendo, mas que será o desafio perfeito para as minhas sensibilidades literárias do momento.

Assusta-me o quão desordenado está todo esse material mas, é para isso que Outubro irá servir, para planear e organizar mais um projecto de obra. Espero descobrir o abandono literário já em Outubro… bem que preciso dele…

Φ

Já começaram a planear o NaNoWriMo de Novembro? Já têm ‘A Ideia’?

Φ

Artigos Relacionados:

NaNoWriMo 2012 – Diário de Bordo deste ano

NaNoWriMo 2012 – Contagem decrescente

NaNoWriMo 2012 – Sobre a Intuição, os Brócolos e Persistir

4 pensamentos em “NaNoWriMo 2013 – Estão abertas as hostilidades!”

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *