Diário de Bordo: Adeus 2013!!! Por falar em Desafios Literários…

Diário de BordoNão há nada que nos motive mais do que a aproximação do final de um prazo. Procrastinadores e desmotivados q.b., os desafios que aceitamos são uma forma de combater essa preguiça e de nos certificarmos que, no final do ano, temos algo contabilisticamente palpável a que nos agarrar.

No âmbito dos Livros & Leituras foi um ano preenchido. Tive oportunidade de revisitar sagas, ler novos autores, reler antigos, imergir em alguns clássicos e aprender com alguns profissionais.

No início de 2013 estabeleci a meta de ler 100 livros. É o terceiro ano que uso o Desafio do Goodreads para contabilizar o número de livros lidos. Em 2011 estabeleci um objectivo de 50 que, em Julho aumentei para 80. Terminei 2011 com 67 livros lidos (podem ler o artigo sobre isto aqui…). Em 2012 estabeleci o objectivo nos 67. De acordo com o artigo de resumo das leituras de 2012, li 104 (podem ler o artigo sobre isto aqui…).

Por isso, em 2013, pensei estabelecer a meta em 100 livros. 2013 não tem sido nada simpático comigo e mesmo perdendo-me entre as páginas dos “meus” meninos, chego a dia 27 de Dezembro com 96 livros lidos (sendo que tenho muitos contos nesta lista)… parece-me que é mais um ano em que não vou cruzar a meta.

No entanto, sinto que se falho em quantidade, compenso em qualidade (como podem ver pelo Top 13, em baixo).

Ainda nos Livros & Leituras, aceitei também dar continuidade ao Reading Romances Challenge. Neste ano, o desafio consistia em ler obras com temas mensais pré-determinados em que mantive o objectivo de dois livros por mês. Mas, ao desafio em si, acresceu a dificuldade em seleccionar boas histórias que correspondessem aos critérios definidos. Este desafio serviu-me, no sentido em que, foi através dele que cheguei ao ‘The Edge of Never’ por J. A. Redmerski.

Agora, no Top dos Livros, planeei a divulgação através do Facebook dos meus 13 preferidos, lidos durante este ano. À semelhança do ano passado, deixo pequenos excertos caso queiram ler mais sobre um dos títulos que foram os pilares do meu 2013.

‘The One Hundred Fifty-Four Sonnets of William Shakespeare’ – “Tired with allthe one 154 sonnets these, for restful death I cry, / As, to behold desert a beggar born, / And needy nothing trimm’d in jollity, / And purest faith unhappily forsworn, / And guilded honour shamefully misplaced, / And maiden virtue rudely strumpeted, / And right perfection wrongfully disgraced, / And strength by limping sway disabled, / And art made tongue-tied by authority, / And folly doctor-like controlling skill, / And simple truth miscall’d simplicity, / And captive good attending captain ill: / Tired with all these, from these would I be gone, / Save that, to die, I leave my love alone.” Ver mais aqui…

the ballad‘The Ballad Of Reading Gaol’ de Oscar Wilde – “And all the while the burning lime / Eats flesh and bone away, / It eats the brittle bones by night, / And the soft flesh by day, / It eats the flesh and bone by turns, / But it eats the heart alway.” Ver mais aqui…

.

‘Comer, Orar, Amar’ de Elizabeth Gilbert – “Seríamos mais felizes se vivêssemosComer Orar Amar sem pensar nestas coisas? Depende. Para aqueles que não sentem a necessidade de crescer, de amadurecer, a resposta é ‘Sim. São mais felizes se evitarem estes campos minados.’ Para os outros que, de repente, se deparam com algo que não entendem, não conseguem explicar, nem abandonar, a resposta tem de ser ‘Não. A felicidade constrói-se e para isso é preciso pensar muito, por mais que nos doa, e fazer coisas que nunca nos passariam pela cabeça, em qualquer outra circunstância.” Ver Opinião Completa aqui… 

Manuscrito encontrado em Accra‘Manuscrito encontrado em Accra’ de Paulo Coelho – “São páginas para aqueles a quem a vida tem pregado algumas rasteiras e que, mesmo assim, não desistem de reflectir e de procurar respostas. Ideias que poderiam ser senso-comum, caso não estivéssemos tão determinados em negar a sua importância. Sentimentos que preferimos ignorar, para que a mudança não nos assuste.” Ver Opinião Completa aqui…

‘Todo o anjo é terrível’ de Susanna Tamaro – “Como todas as obras autobiográficas,todo o anjo é terrível deixa-nos pistas para “os porquês” de Tamaro. Deixa-nos, também, um sentimento de que são as circunstâncias terríveis que nos moldam, e as felizes que nos formatam. Que é o balanço entre as duas, assim como a capacidade de resiliência com que nascemos, que define a vida e o que escolhemos fazer com ela.” Ver Opinião Completa aqui…

Me before you

‘Me Before You’ de Jojo Moyes – Ver mais aqui…

.

‘The Great Gatsby’ de F. Scott Fitzgerald – “‘The Great Gatsby’ é na essência umaThe Great Gatsby história de um amor perdido, de pessoas levianas e inconsequentes, de relações ilícitas com finais trágicos. É a confirmação de que algo perdido no passado, dificilmente pode ser recuperado. Mas, também, que esse algo nunca pode ser ignorado sem ter sido definitivamente enfrentado, sob pena de tristes fins.” Ver Opinião Completa aqui…

IMG_2021

‘Lover at Last’ de J.R. Ward – “Quanto ao principal deste livro… o romance de Blay e Qhuinn não desapontou. Ou melhor, Ward não desapontou quando se manteve firme no seu tom ‘no bullshit’ a que nos acostumámos. Acho que não mata ninguém de choque (ou quase ninguém) e que as descrições bastante gráficas são fiéis a tudo aquilo com que Ward nos tem presenteado.” Ver Opinião Completa aqui…

‘A Sombra do Vento’ de Carlos Ruiz Zafón – “Sem querer revelar as reviravoltasA Sombra do Vento que nos prendem a esta história, apenas quero afirmar que é uma valente lição de vida, na medida em que nos força a olhar para as escolhas que mesmo que nos recusemos a fazer, inadvertidamente moldam as nossas vidas e as de todos os que nos rodeiam… e, se não escolhemos, haverá sempre quem o faça por nós.” Ver Opinião Completa aqui…

the edge of never

The Edge of Never’ de J.A. Redmerski – “Pessoalmente, preferia que a autora tivesse optado pelo final mais significante. Aliás, eu estava pronta para parar de ler ao segundo parágrafo do último capítulo. Se o tivesse feito talvez perdesse o público-alvo mas garanto que teria chegado a tantos outros e forçado uma espécie de amadurecimento do leitor. Acho que teria captado algum do sentido (sem sentido) desta vida.” Ver Opinião Completa aqui…

‘A Walk to Remember’ de Nicholas Sparks – “Love is always patient and kind. It isa walk to remember never jealous. Love is never boastful or conceited. It is never rude or selfish. It does not take offense and is not resentful. Love takes no pleasure in other people’s sins, but delights in the truth. It is always ready to excuse, to trust, to hope, and to endure whatever comes.” Corinthians. Ver mais aqui…

1984

‘1984’ de George Orwell – “Somos um produto daquilo que nos rodeia e da nossa própria consciência. Chegará o dia em que abdicaremos, completamente, dessa consciência para fugir duma existência feita de escolhas difíceis? Desconfio que, para alguns, esse dia já chegou, enquanto os outros continuam a fazer o que podem com o que têm, e a exultar a escolha mesmo se influenciados pelos dogmas dominantes, aos quais é impossível fugir.” Ver Opinião Completa aqui…

‘The Stranger’ de Albert Camus – “Que nunca sejamos apanhados na indiferença.TheStranger Atrás da carapaça que corrói a alma, mas não a protege das reviravoltas da vida. Viver sem intenção ou comoção não é sinónimo de vida plena. É sim, um artifício manhoso atrás do qual nos escudamos, mas que de nada serve para evitar a dor à qual a existência sempre nos conduz.” Ver Opinião Completa aqui…

Foi um ano profícuo em leituras, mas agora é tempo de começar a reflectir sobre os objectivos para 2014. Mas, depois, faço-vos chegar os resultados desta contemplação.

Não percam o próximo artigo da série ‘Adeus 2013’ onde irão poder ler sobre os Meus Escritos deste ano.

Φ

Artigos Relacionados:

Diário de Bordo: Adeus 2013!!! Os 13 artigos mais visitados e os meus preferidos

Diário de Bordo: Sobre os Desafios Literários de 2012 e 2013

Os meus Livros em 2011 e as Escolhas para 2012

ΦΦΦΦΦ

Gostaram deste artigo? Então subscrevam este blogue e recebam todas as novidades por e-mail.

sarafarinha.wix.com http://blog.sarafarinha.com sara.g.farinha@gmail.com@sara_farinha  goodreads_Sara Farinha  facebook  google+ sarafarinha  Pinterest youtube

9 pensamentos em “Diário de Bordo: Adeus 2013!!! Por falar em Desafios Literários…”

  1. Olá Excelente Best-of para o ano 2013
    Quanto aos meus desafios, também ficaram todos por cumprir, nos do Good Reads (embora mais modesto que o teu andei lá por perto, mas o objectivo não foi superado.
    Quanto ao teu Top de leituras, muito bom, desta lista li a “sombra do Vento” e também o “Grande Gatsby”
    1984, mais uma vez foi adiado.
    Sara, aproveito para te desejar um feliz ano de 2014. Com muitos sucessos. Que o novo ano seja bem melhor do que este (pedir não custa)
    Beijinhos e boas leituras.

  2. Não te preocupes com as metas..os meus desafios deste ano só completei 2 – dos ebooks e do distopia. em 2014 só vou meter-me em 4/5 (este ano estava para aí em 8 ou 9). Adoro desafios mas não me chateio se não os cumprir, é através deles que às vezes leio livros que queria ler há imenso tempo!

    estou ansiosa pelo the edge of never que finalmente vai ser publicado cá..já andava há imenso tempo de olho nele e já tinha visto a tua opinião, espero gostar!

    1. As metas são para incentivar, não é? Mas para o ano que vem vou manter a coisa mais pequenina 🙂 Espero que gostes do ‘The Edge of Never’, eu vou ficar à espera do 2º volume que sai em Janeiro. Um excelente 2014 para ti, Mafalda 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *