5# Palavras Soltas

Nove anos de blogue, nove anos de Palavras Soltas que, até aqui, se encontravam à solta pelo blogue. Esta é a página que agrega todas essas Palavras Soltas por aí e onde proponho adicionar mais umas quantas.

Estes são os Meus Escritos mais dispersos, algumas ideias, diferentes contextos, em géneros distintos. Aqui deixo uns bocadinhos de mim, do passado, presente e futuro, na esperança que ao partilhar mais daquilo que escrevo possa chegar a mais leitores.

Convido-vos a visitar os artigos desta lista em constante expansão. Convido-vos a ler os que vos saltarem à vista (em baixo) e a deixar os vossos comentários.

::::::::::::::::::::::

#83# A (minha) síndrome do impostor

#82# Agora, imagina que desejavas começar a escrever

#81# Algumas pessoas têm bondade no coração – um programa a ver

#80# Faz o que amas. Ama o que fazes. Ama-te.

#79#  ‘O Nome das Coisas’ Sophia de Mello Breyner Andresen

#78# Fora com as banalidades! Eu também não sei!

#77# 25 de Abril. Dia de quê?

#76# Coragem, Fé e Amor…

#75# Ter Poder é… Escolher

#74# A escrita para fugir da vida – Para que serve? Porque o fazemos?

#73# Escrever é a mais solitária das artes – Sobre o acto de criação.

#72# É preciso querer (mesmo) – As desculpas que arranjamos para não perseguirmos os nossos sonhos.

#71# “Escrevo sobre o quê?”– Boa pergunta…

#70# Coleccionadores de coisas – “Enchemos as prateleiras de coisas, a mente de cenas, a vida de nadas. Enchemo-nos de banalidades…”

#69# Livros, Cultura e Cenas… – A Feira do Livro onde se vende mais do que livros.

#68# A Parábola da Consciência – uma história dos índios Sioux

#67# Tudo tem um preço a pagar – O Universo apresenta, sempre, a factura…

#66# Obrigada, Mãe – Um Obrigada gigante à minha mãe.

#65# O Trabalho é fundamental à Vida. Mais, se o amarmos… – No dia internacional do trabalhador…

#64# Nunca sabemos que palavras nos (vos) tocam – Sobre as palavras que ouvimos e o seu impacto.

#63# O burro, erros e a ditadura – Todos cometemos erros… mesmo se preferíssemos ter nascido ensinados.

#62# #100happydays – Mais um desafio com o seu quê de tolice…

#61# Medo num mundinho pequenino – “Em tantos sonhos, escolho aqueles sem os quais nunca soube viver.”

#60# Escolhas, Coragem e… menos, muito menos – Isabel Allende sobre viver apaixonadamente – “Este vídeo fez-me pensar nisto tudo. Fala de escolhas, de paixões, de vidas e de Vida. Fala das mulheres, várias e de vivências distintas, num mundo que é e sempre será de homens.”

#59# Lançamento do Ebook ’7 coisas que aprendi’ – A participação num projecto (que virou livro) que me fez pensar em algumas coisas.

#58# Alguma cultura geral e um elogio à solidão – Um discurso de Hemingway e umas curiosidades sobre os prémios Nobel.

#57# Escreve com o coração – “Nenhuma história vale a pena ser contada se não o fizermos com amor. Amor à arte, a nós mesmos, aos outros.”

#56# O meu conto ‘Somos Felizes’ na Antologia da Editorial Divergência – Um dos meus contos seleccionados para publicação pela Editorial Divergência.

#55# Drabble: ‘Memórias’ “Deixo as memórias queimar, passar por mim como ferros em brasa, destruindo a pele em que tocam…”

#54# 40 anos da morte de J.R.R. Tolkien “Em baixo, a lápide que partilha com a sua esposa. A derradeira conexão, talhada em mármore, entre ficção e realidade.”

#53# Um destino de cada vez (inspiração de Paris) “Ver os outros como são, mesmo que eles não se vejam a si mesmos, recolher o combustível para outras histórias e classificá-la como uma boa tentativa para colocar o mundo em perspectiva.”

#52# Sem medo da escada “Todos os dias olhamos para os projectos em andamento, ou ainda em ideia, e temos de ter a coragem de afastar o medo, de dar aquele passo, de subir mais um degrau. Porque mesmo aquilo que consideramos não ter valor ensina-nos alguma coisa. Cada momento de exaustão, tristeza ou cansaço, é também um momento de fé. Fé, não em algo intangível, mas em nós próprios e na nossa vontade de continuar.”

#51# Estratégias (falhadas) de pesquisa “Acabei por comprar um outro tipo de revista, só porque ao fim de um bom bocado tive vergonha de sair da loja sem nada. Mas pelo menos considero que esta não era uma afronta à inteligência… apesar de também não ter servido para construir títulos melhores.”

#50# Um passeio na 83ª Feira do Livro de Lisboa “Reparei que recebi vários “olhares malignos” na primeira volta, ainda sem qualquer saco na mão, mas redimi-me à segunda passagem.”

#49# Palavras Soltas e Imagens Inspiradoras: ‘Key Tree’ de Marla Olmstead “Agora, vou em busca de palavras com as cores do arco-íris e a inevitabilidade da pertença de uma chave à sua fechadura.”

#48# Dia Internacional da Mulher ou um futuro melhor “Sou Pessoa, Ser Humano, Indivíduo uno e indivisível. Em mim contenho todas as partes da Vida. Querem chamar-me algo? Experimentem ‘Pessoa’.”

#47# Sobre Escrever “Às vezes é difícil encarar essa necessidade de procurar as verdades absolutas, outras vezes é essa busca que nos ajuda a sobreviver.”

#46# Sobre a SOPA e a PIPA “Realmente, nunca gostei de sopa. E esta também não me convence.”

#45# Palavras Soltas: Sobre a Ficção Científica Social “Às vezes é particularmente difícil explicar porque as pessoas estão erradas ao afirmar que não gostam de determinado género literário.”

#44# Recursos do Leitor: Como adoptar um livro novo “O cheiro a químicos dum livro novo, ou o bafiento dum livro antigo. Folhear as suas páginas intocadas e separar as que vinham unidas nos cantos.”

#43# Uma livraria XXL: Zubal Books “São mais de 5,000,000 livros na Zubal Books em Cleveland em Ohio, a maior livraria do mundo…”

#42# Feira do Livro de Lisboa. Nem a chuva resiste… “Livros, livros e mais livros, e árvores e uma multidão de pessoas, crianças e cães. Todos gostam da Feira do Livro, até a chuva.”

#41# Não tenham medo de usar o Dicionário “Durante muito tempo afirmei: “O meu dicionário é o melhor do mundo.” O meu dicionário é muito velhinho, quase tão velhinho como eu. Mas a minha memória mais acesa, quando penso nele é: tinha sempre tudo. Qualquer que fosse a palavra, ele tinha.”

#40# Como uma árvore de garrafas é um exemplo para todos os escritores “Quando nos sentamos para escrever, é isso que trazemos para a página, a nossa forma de ver a vida, seja ela através dos olhos do herói ou do vilão, da personagem principal ou da secundária. É a nossa árvore de garrafas de uso pessoal e exclusivo.”

#39# Practice what you preach “Há alguns dias atrás achei boa ideia dar um conselho. Isto não é coisa que normalmente faça de ânimo leve, porque acredito que aconselhar alguém é uma actividade demasiado “cabeluda” para o meu gosto (e no meio de tanto cabelo haverá alguma coisa que se aproveite por baixo?!)”

#38# Memórias de Infância na Feira do Livro “Recordo-me que vinha de lá de rastos, mas bastante animada porque trazia sempre alguma coisinha no saco.”

#37# Escolher a capa do meu livro… “Há poucas semanas experienciei a minha primeira escolha de capa. É… difícil!”

#36# Os vários tipos de dias “Há dias de manhã, que uma pessoa à tarde, não pode sair à noite… ou qualquer coisa do género. Aquele sentimento brilhante que nos anima logo de manhãzinha, quando pomos o pé fora da cama e logo tropeçamos nos chinelos à nossa frente…”

#35# The power of goals and the danger of futile achievements “There’s no magic formula for sucess, but sure as hell ain’t going to sit around and wait for luck. By willpower, not by chance. One goal at a time.”

#34# Fantasia e Um coração partido “Porque uma metáfora pode explicar fenómenos de forma inteligível, torná-los parte de nós de uma forma que a racionalidade não é capaz de o fazer.”

#33# Aprender com os erros “Mas porque nos demoramos a contemplar memórias? Porque recordamos determinadas coisas em detrimento de outras? O que nos marcou tão profundamente que nunca se esquece?”

#32# Saudades de Verão “Que saudades das férias de verão.”

#31# Ataque ao Facebook: Haja paciência para estes cromos! “Não querem usar o Facebook, ou qualquer outra coisa, não usem. E reparem, ninguém vos obriga, ao contrário do que querem fazer connosco. Isto é repressão, disfarçada de preocupação social.”

#30# Paranóias de infância “Desde que me lembro de ser gente que tento agradar, gosto de agradar e motiva-me ser recompensada quando agrado (em sentido lato, claro!). Lembro-me particularmente bem das constantes comparações entre mim e o outro rebento da família. Coitada, aí saiu-lhe a palhinha mais curta.”

#29# Uma biografia “sofrida” “Antes dez páginas de dragões, vampiros, demónios, anjos ou afins, do que três parágrafos sobre o sítio onde aprendi a escrever. Go figure…”

#28# Onde estão as galochas? “Podemos desejar muitas coisas, mas só depois de calçarmos as galochas e molharmos os pés é que as alcançamos.”

#27# Ler e escrever em Português, ou noutra língua? “A versão original de um livro, filme, peça de teatro, música, contém em si mesma algo que nunca poderá ser reproduzido numa tradução.”

#26# As luzes no meu caminho “o meu caminho parece ser sempre assim: uma recta, em direcção a algo inescapável e assustador…”

#25# A felicidade de uma criança “Nunca na vida provara um rebuçado, nunca houvera dinheiro extra para rebuçados. Aliás, nunca havia nada extra…”

#24# Mostrem-me onde fica o Off “Alguém sabe onde posso encontrar o botão que desliga a corrente? Eu procurei, juro…”

#23# Sometimes we put up walls… “Por vezes construímos paredes à nossa volta. Não para manter as pessoas do lado de fora, mas para ver quem se importa o suficiente para as derrubar. E depois há aqueles que nem sequer vêem as paredes…”

#22# Homenagem ao Autor Português “Vamos incentivar a justa retribuição do trabalho artístico, pois os nossos artistas são a Alma deste mundo (enquanto os outros poderão ser as suas mãos, os seus pés e o seu cérebro).”

#21# A Velocidade da Vida “Quando antevês o que lá vem, e mesmo assim acreditas que contigo será diferente, mereces ser punido. Pois ninguém dá o que tem, se puder receber o que é dos outros.”

#20# Curiosity killed the Cat “That’s what they tell us when we are being overly pushy (by someone standards) about something. I don’t know if the cat appreciates the comparison, but I do know that I don’t.”

#19# Morreu porque parou de stressar ou parou de stressar porque morreu? “A atitude perante as dificuldades é prova da nossa capacidade de resistência, e em última análise, as dificuldades ajudam a construir carácter. Mas será esse carácter aquele que nos faz falta? Ou estaremos, uma vez mais, a iludir-nos sobre o que é verdadeiramente importante?”

#18# Sem pressão! Hoje é Sábado. “Hoje é Sábado. Um como tantos outros, em que uso o meu precioso tempo aqui, tentando organizar alguns pensamentos e inspirar-me para dar seguimento à tarefa de continuar a rever o meu livro. Sim, aquele que daqui a nada já terá idade para ir à escola.”

#17# Arrasar o egoísmo dos homens “A água é uma substância volátil, como tantas outras que existem no nosso meio ambiente. Mas ser volátil não significa uma conquista fácil. Pode ser maleável, mas tudo o que perde a forma acaba por partir. Tudo o que se separa tão facilmente como a água, pode nunca se voltar a juntar.”

#16# Inspiration enlightens the world “É quando perdemos o mundo, que começamos a encontrar-nos a nós mesmos.”

#15# Exposição Pública e Redes Sociais, com grande poder vem grande responsabilidade “Ligar Facebook, Blog, Site, Goodreads, YouTube, Linkedin e Twitter, e mais uma quantidade infindável deles, é o objectivo da coisa. E assim criar uma rede social que inclua o máximo de pessoas, informação, divertimento e oportunidades profissionais possíveis.”

#14# Palavras Soltas: Odeio que penses o que pensas… “Odeio a necessidade de provar algo. A quem não vê, nada tenho para mostrar.”

#13# Erros?! Check! Corrigir?! Check! Errr… still checking “Entretanto fica aqui a ideia, as checklists servem para ajudar. Elas dedicam-se à parte mais entediante da escrita, onde é imprescindível que apliquemos as regras. Sim, porque regras e tédio podem ser sinónimos, e revisão de texto pode ser uma tarefa que sem dúvida mete “Medo”.

#12# Noite de Óscar (e não me refiro ao gato) “Não obstante, Parabéns aos vencedores, afinal o reconhecimento é a recompensa de todos os artistas e é dele que vem a coragem para continuar…”

#11# Hoje celebra-se o dia dos devaneios… os meus. “As citações inspiram-te? Ou achas que é demasiado popular?”

#10# E onde está o público??? “Escrever um post requer conhecimentos diferentes de escrever um romance, um conto, ou mesmo um artigo num qualquer site de crítica literária, por exemplo.”

#9# Tempestade de Ideias “Sim, já conheço a máxima “keep your day job”

#8# Todos somos bizarros “Querem partilhar o vosso cantinho do bizarro? Vá lá, não custa nada”

#7# Constipação (que irritação!) “Cheguem-me lá um lenço de papel, por favor! ” (É oficial! Sofro de constipação crónica…)

#6# Aprender a contar histórias “Podem ser histórias reais, de ficção, poemas ou letras de músicas, todas elas contam algo, ensinam algo, e com elas aprendemos a separar-nos do nosso “eu” mesquinho, e a abarcar os milhões de outros “eu” tão diferentes e tão iguais de nós próprios.”

#5# Writers Block – O Bloqueio do Escritor “Depois de dar o melhor da sua concentração, do seu cérebro e da sua vontade a terceiros, é difícil ainda ter vontade para se dedicar a criar algo. Porque tudo aquilo que se deseja é, depois de passar oito horas a teclar, ir para casa e continuar a acariciar a nossa tendinite de estimação.”

#4# O que faz um génio? “Quem define o que é um momento genial? O coração de quem lê, observa, sente.”

#3# É o vírus… “Dia de constipação. Ou será de constiparvação? Um bocadito das duas coisas… “

#2# Citação “… A eles (indivíduos) acho que vão faltar tomates. No fundo é um problema agrícola…”

#1# Fotos “São mensagens de Amor, Amizade, Calor ou Saudade…”

:::::::::::::::::::::

Segue-me / Follow me:

facebook

twitter

google+

PinterestLogo

instagram

 

 

tumblr-icon

goodreads

youtube

Contacta-me / E-mail me:

sara.farinha@sarafarinha.com

2 pensamentos em “5# Palavras Soltas”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *