Hoje celebra-se o dia dos devaneios… os meus.

Hoje é o dia dos devaneios, das palavras soltas, dos textos emotivos, imaginativos, agressivos, delicados ou simplesmente enfadados. Hoje é o dia em que se aplica na perfeição aquelas citações, excertos banais, pequenas e irritantes frases, mais ou menos verdadeiras, e apropriadas, ou não.

Hoje, Oscar Wilde decidiu vir até este cantinho e dar o ar da sua graça, inspirando este post a partir da sua morada póstuma. E sem contrariar o escritor irlandês, aqui coloco o seguinte da sua autoria:

“Be yourself, everyone else is already taken.” – Sê tu mesmo, todos os outros já estão ocupados / já existem.

Certo! E este é uma das ideias por trás de qualquer devaneio artístico. Tudo aquilo que tu fazes é teu, vem de ti, não pode ser criado por nenhum outro ser. Bom, pode ser copiado e reproduzido (mas a isso chama-se plágio) e nunca seria inventado exactamente da mesma forma que tu o pensaste e executaste.

“Ordinary riches can be stolen, real riches cannot. In your soul are infinitely precious things that cannot be taken from you.” – Podem roubar riquezas banais, nunca as reais. A tua alma tem infinitas coisas preciosas que não te podem ser roubadas.

Mais uma para assimilar e arquivar para uso a posteriori. Apropriam-se das ideias, levam o que há de bom e de mau, mas a mente não é expropriada do seu património. Tudo aquilo que a povoa, define e transparece, não desaparece só porque alguém usou a parte que se encontra a saque.

“Nothing that is worth knowing can be taught.”- Nada do que vale a pena saber, pode ser ensinado.

Se não o tens em ti, desiste. Ninguém será capaz de to dar. E só tu poderás aprender com os erros que cometeres. Não é que ajuda não seja preciosa, que a aprendizagem não tenha o seu lugar ou mesmo que não se aprenda com as palavras dos outros. Simplesmente, só a vivência e a auto-compreensão poderão levar ao conhecimento. E aquilo que és passará em tudo o que fizeres.

E por fim, a pièce de résistance: “Man can believe the impossible, but can never believe the improbable.” – O Homem pode acreditar no impossível, mas nunca no improvável.

Sim! É mais fácil acreditar que existe vida noutros planetas do que na improvável hipótese duma 3ª Guerra Mundial. É mais fácil acreditar que, algum dia um conjunto de palavras perfeitas acorrerá à mente, do que na improbabilidade de nunca, ninguém querer sequer olhar para elas. É mais fácil acreditar na mentira, do que na improvável verdade.

Estas palavras são pedacinhos de nós, animais racionais, que significam tão mais do queremos admitir. Afinal, é improvável que alguém se recorde delas ao fim de uns segundos. Se és apelidada de “Citação”, deves estar triste, não? É triste ser-se uma memória de curto prazo

As citações inspiram-te? Ou achas que é demasiado popular?

Deixem aqui os vossos comentários ou enviem e-mail para: sara.g.farinha@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *