Opinião: ‘Torne-se Pequeno e Pense em Grande’ de Seth Godin

Sinopse: Se o leitor está a contar que este seja mais um livro denso, que obedece a uma estrutura convencional e é resultado de muitas horas de investigação, desengane-se. Isto porque Seth Godin, autor do bestseller As Mentiras do Marketing, acredita que tudo o que você precisa é de uma pequena ideia que possa dar-lhe o tal empurrãozinho e mudar toda a sua vida. Assim, neste livro foram reunidas mais de 180 breves reflexões sobre variados temas da actualidade, que ao longo de quase uma década Seth Godin foi deixando no seu blogue, em revistas e e-books. Motivador e original, Torne-se Pequeno e Pense em Grande! transformará a forma como trabalha, como gasta o seu dinheiro e como entende o mundo à sua volta

 Opinião: É oficial! Acabei de ler “Torne-se Pequeno e Pense em Grande!” de Seth Godin, publicado em Portugal pela Editorial Presença, e tal como afirmei anteriormente este é um livro que vale a pena dar atenção.

Reunindo uma série de reflexões sobre temas vários, gerados ao longo de seis anos, todos os artigos são comunicados na perspectiva de um marketeer com uma visão refrescante e suficientemente abrangente das mudanças que acometem a sociedade actual.

Seth Godin é, sem dúvida, uma força a ter em conta e uma inspiração para todos aqueles que têm em si a centelha de fazer, não só mais e melhor, mas também de forma diferente. A ideia base de todas as contribuições de Godin é “Faça alguma coisa que seja importante.

Inspirando-nos a observar o que existe, o que funciona e o que é uma perfeita perda de tempo, Godin incentiva os seus leitores a colocar questões, a ter ideias, a espalhá-las, a perseguir um estado de constante mutação e aprendizagem, a olhar para as empresas, produtos e serviços de forma crítica sem deixar de ser construtiva, a sermos melhores em tudo aquilo que fazemos.

Ele remexe nos saberes instituídos e impele a acção de excelência. Fala-nos de trabalho árduo, de iniciativa, da tecnologia, de ideias virais, da mudança, de coragem, de status-quo, de paradoxos, de estratégias, de benefícios e de superstições. Em todos os seus escritos são abordados os conceitos de marketing tradicionais e a sua visão pessoal sobre eles.

Godin descreve várias situações em que somos nós, os indivíduos com capacidade de escolha, gostos, vontades e opiniões, que detêm o poder sobre aquilo (produtos/serviços/ideias) que será bem sucedido e o que falhará redondamente.

Gostei tanto do livro que ao fim de dez páginas voltei ao início e comecei a sublinhar e a tirar notas… Logo eu que odeio rabiscar em livros!

Aconselho especialmente os artigos dedicados aos escritores e bloguistas da actualidade.  E para aqueles que, como eu, trabalharam em empresas multinacionais garanto-vos que irão relacionar-se com algumas das práticas organizacionais mencionadas. Gostei particularmente do artigo “Levar as pessoas a não dizer talvez”, na página 253, sobre o risco, a coragem, as decisões e a desonestidade na nova economia.

Leiam e inspirem-se…

ΦΦ

Artigos Relacionados:

Networking: o que andamos aqui a fazer? E a visão de Seth Godin

Website Oficial de Set Godin

Opinião de Jaime Fidalgo no website da Presença

ΦΦΦΦΦ

Deixem aqui os vossos comentários ou enviem e-mail para: sara.g.farinha@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *