O Aniversário do Blog e a Criatividade como Mindset

12 aniversário do blog

12 ANOS! Outra vez, agora mais devagar, este blog celebra o 12º aniversário.

Começou de forma incerta e insegura. Sem grandes planos, ou compreensão, para o que poderia vir a ser. Nasceu da minha vontade de aprender sobre a Arte da Escrita e de partilhar esse conhecimento convosco. read more

A Palavra para 2019

vida criativa

Ora, já passaram algumas semanas desde o exercício criativo de encontrar a minha Palavra Orientadora para 2019.

Podem ler tudo sobre este acontecimento anual aqui… read more

Opinião: ‘Big Magic’ de Elizabeth Gilbert – parte II

Big Magic de Elizabeth Gilbert

Esta é a segunda parte do artigo gigante sobre o livro “Big Magic” de Elizabeth Gilbert. Esta é uma opinião sincera, que me colocou numa posição em que pude observar a minha vida criativa com um espírito aberto e mais leve.

Podem ler a primeira parte aqui… read more

Opinião: ‘Big Magic’ de Elizabeth Gilbert – parte I

Big Magic de Elizabeth Gilbert

Preparem-se porque este artigo vai ser gigante… do tamanho da relevância de ‘Big Magic’. Tão gigante que, após cuidada ponderação, decidi publicá-lo na íntegra, mas em dois artigos diferentes.

… Mas, só porque não quero levar ao limite o esforço do WordPress, e das suas birras das últimas semanas. read more

#vida de escritor… pedreiro… lojista… pintor… administrativo

vida de escritor

Numa das minhas voltas pelo Instagram (@saragfarinha), deparei-me com uma imagem que me serviu que nem uma luva.

Sob a hashtag #writerslife, a fotografia de uma rapariga, de bata vestida, e na legenda lê-se ‘Physical therapist by day, writer by night’ ou ‘Fisioterapeuta de dia, escritora à noite.’ read more

Onde encontrar Inspiração para Escrever?

Inspiração para escrever

Podemos usar o que nos rodeia, se nos abstrairmos de quem somos, e apenas observarmos e sentirmos o sítio onde estamos.

Faz sentido? read more

A Revista Estante nas nossas Estantes

Revista Estante Fnac

Não sou consumidora assídua de Revistas. Nunca fui. Sempre folheei aquelas que me apareciam à frente, que outros compravam e por algum motivo, acabavam por coabitar o mesmo espaço que eu. E, bastava-me.

Olhando para trás, nem de revistas de música (de onde tirava todos os posters para colar na parede do quarto e imagens para forrar os meus cadernos de escola) fui grande compradora. Até da National Geographic Portugal, que li assíduamente durante uns anos, só posso dizer que comprei uma. read more