Gerir o Tempo e Escrever

gerir o tempo e escrever

Agora que saí da NaNo Land, sem ter saído da Terra de ‘Fogo e Gelo’, volto ao meu esquema normal de gestão de tempo. E, o que significa isto?

Aqui, na Sara’s Land, as primeiras horas matinais são dedicadas a rituais que incluem escrever as Morning Pages, um Daily Planner e Bullet Journal, entre outros rituais mais sucintos, como uma prática de gratidão, que estão integrados nos ritmos de cada dia. read more

Qual é o teu Método de Escrita?

método de escrita

Esta semana, enquanto embrenhada nos ritmos muito próprios de um NaNoWriMo, e da execução de uma nova história, fiquei com a sensação que precisava colocar as cenas sob uma nova perspectiva.

Gosto de planear. Gosto de esmiuçar pormenores, de planear Universos, de conhecer aquilo que vai no coração das personagens e, de preferência conhecer, de facto, os locais onde decorre a acção. Gosto de saber por onde começo, e de ter ideias sobre os sítios por onde passarei, até entregar aquilo que me propus ao magicar uma história. read more

8 Ideias a contemplar no início de um projecto

8 ideias no início de um projecto

Esta semana tem sido marcada pelo início, e decorrer dos primeiros dias, do NaNoWriMo de 2020. Daí o dia, e a hora, de publicação deste artigo…

Se não sabem do que falo, o que é muito natural, convido-vos a ler primeiro este artigo aqui: National Novel Writing Month. read more

NaNoWriMo 2013 – ‘A beleza do fracasso’ e a piada cósmica do costume

capa

“O fracasso nunca é procurado, é sempre temido e impossível de ignorar. Na verdade, paira sobre todas as tentativas de exploração. No entanto, sem o aguilhão do fracasso que nos estimula a reavaliar e a repensar, o progresso seria impossível.” Hannah Bloch

“A beleza do fracasso – o que seria de nós sem ele?” é o título dum artigo, na edição portuguesa da National Geographic , de Outubro de 2013, onde vários exploradores fornecem um vislumbre dessa frágil relação entre o sucesso e o fracasso. Um texto (tão facilmente) aplicável à nossa realidade de escritores, e à minha situação em particular, que merece um destaque especial aqui no blogue. read more

NaNoWriMo 2013 – Dia #6 – Ai! Jesus!

Ai! Jesus, que se apaga a luz!!! Deve ser o cliché que mais vezes repeti nos últimos dias. Seis dias decorridos do NaNoWriMo deste ano e… que posso eu dizer?! Isto é pior que desvitalizar dentes.

10.304 palavras, 24 páginas, e continuo à procura do espírito da coisa. Não estou encantada com o ritmo, ou estilo (eu sei! é um primeiro rascunho, mas não consigo evitar!), e sinto como se me arrastasse por cada palavra, cada frase, cada parágrafo… cada hora interminável, à volta daquilo que quero pôr no papel, mas que parece determinado a não se deixar registar. read more

NaNoWriMo 2013 – Dia #1 – Em modo ‘Abandono Literário’ e não só…

capa

E se vos disser que, durante o dia de ontem, me esqueci por completo que à meia-noite começava o NaNoWriMo?

Pois! Felizmente, houve quem me relembrasse (o que eu agradeço). Assim, à meia-noite (quase) em ponto abri o documento de Word que será o meu ‘mais que tudo’ durante um mês. Dois parágrafos registados e dei conta que tinha de fechar o dito ou passaria a noite em claro… coisa que, neste momento, não ia ser útil ou desejável. read more

NaNoWriMo 2013 – O pânico! O desespero! O horror!

quiet in my heart_Ian Thomas

A quatro dias do início do desafio é hora de rever o que planeámos, detectar o que queremos mudar e listar as alternativas que podemos querer vir a usar. A quatro dias do fatídico início, e dependendo do tipo de delineador de planos que sejas, tens uma ideia bastante definida da história, das suas personagens, dos locais e da ambiência que pretendes.

Aqueles que levam o planeamento detalhado à risca terão também uma quantidade ínfima de pormenores, decorrer de cenas, interligações e sub-enredos. Os que não funcionam desta forma terão um conjunto de ideias, em papel ou noutro formato (o mental incluído), e uma convicção daquilo que querem construir. read more