Viver e Escrever com Simplicidade

viver e escrever com simplicidade

Simplicidade. Quando a escolhi nunca pensei acertar. Pelo menos, não desta forma.

Este é o balanço da minha palavra orientadora para 2017, um dos exercícios anuais que adoptei e tenho mantido há já uns tempos. Uma brincadeira que aconselho aos espíritos livres.

Simplicidade.

Mas, Simplicidade tem de começar por Simplificar.

E, nunca, tal foi tão necessário como em 2017.

Sim. Eu, a complicadinha por definição. A do gene complicado de Escritora, como alguém muito importante não pára de ressalvar. A ansiosa por ansiar. Eu preciso Simplificar.

Assim, muito tem sido conscientemente escolhido e deixado para trás. Oferecido a quem dele faça uso. Libertado para ocupar outros espaços. Impedido de entrar.

Objectos, hábitos, sentimentos e formas de estar. Todos precisam encontrar as suas casas, outros lares. Aqui, não há mais espaço para eles.

Também as minhas rotinas têm de ser simplificadas e permanecer simples. (Confesso que continua a minha luta com as caixas de e-mails.) Uma criança pequena exige tudo o que é extra de tempo, energia e atenção. Não há espaço para excessos ou excedentes. Por vezes, nem há espaço para essenciais…

Assim, também a Arte precisa ser Simples e os seus Processos e Rituais Simplificados.

Se era difícil manter uma vida de trabalho dupla, agora, é praticamente impossível. Assim, apostei, ou continuo a apostar em Simplificar. Na Simplicidade que necessito para funcionar.

Branco, Simples, Limpo, Real, Concordante comigo e com aquilo em que Acredito.

Isto não é, de todo, uma forma final, um resultado. É, sim, um Caminho. Um Ritual. Um primeiro passo. Uma volta à Escrita. Preciso do espaço, físico e mental, para voltar à Escrita. À ficção. Aos Sonhos e à Criatividade.

É isso que quero deixar à minha filha. A mãe que não deseja legar um mundo da treta em que nada fez, de valoroso ou de contributivo, para melhorar esta realidade em que a gerou.

Esta, e outras coisas, são o que me é possível alterar. São as forças que posso tentar passar.

Simplificar.

Encontrar o espaço livre.

Criar.

Publicar.

Deixar-lhe, e a quem me lê, as bases de algo.

Só isso: Simplificar.

Porque de tempos demasiados cheios, de coisas extremas, cenas fortes e más, foi por onde comecei. Agora, na complicação, vou simplificar. Para poder dar atenção ao que realmente importa. Para percorrer o Caminho e Acreditar. Para regressar.

Setembro e o balanço é positivo. Outras alterações se aproximam, para além do aspecto deste blog. Outros temas importantes, visões que podem ajudar quem segue este espaço virtual, estratégias, e inspiração para os vossos escritos.

Mas, para já, vamos Simplificar. Porque já aprendemos em matemática que menos com menos mais.

Menos lixo. Menos confusão. Menos bloqueios. Menos preocupação.

Mais Vida. Mais Qualidade. Mais Saúde. Mais Inspiração. Mais Arte.

Podem ler alguns artigos que têm feito parte deste exercício em Simplicidade aqui, no meu perfil do Pinterest.

Escolheram Palavra para 2017? Qual? Qual o balanço do ano?

::::::::::::::::::::::::::::::::

Subscrevam este blogue e recebam todas as novidades por e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *