Projecto 12 Meses/12 Contos

12 Meses 12 Contos

Como começou o 12 Meses/12 Contos?

Há sempre tempo para começar qualquer coisa.

Sempre soube que Escrever era Praticar. Click To Tweet

Nenhum dos meus textos seria bom, nada me satisfaria, nunca iria aprender mais nada se não continuasse a Escrever. Um dia, após um conjunto de circunstâncias menos motivantes, decidi começar a perseguir três determinados formatos com a minha escrita: Livro, Artigo de Blog e Contos.

Durante uns anos desenvolvi algumas práticas que me permitiram avançar na prossecução destes três formatos. Adoptei desafios literários. Recorri a beta-leitores. Envolvi-me em projectos públicos. Li, estudei, escrevi. Sempre consciente que precisava de mais tempo, de mais saber, de mais prática. Mas, a consciência é uma manifestação do poderoso ego.

Assim, quando a vida deu algumas curvas parei, quase totalmente, de escrever. Não me apetecia. Não tinha ideias. Lia e não via Objectivo em aprender. Não conseguia sair do mindset de que nada tinha valor ou valia a pena. Que não era nada em comparação com todos os outros que por aí andam. 

Levei muito tempo a recuperar a minha Chama. O que faz de mim, eu própria. O prazer, e o amor, pelas actividades que me fazem bem, que me alimentam a alma. Nos últimos tempos, tenho relembrado o que me levou a perseguir a escrita de forma mais consistente. Recordei-me que

Escrevia por e para mim. Click To Tweet

Perdi o rumo ao que sabia da vida. Uma, e outra, e outra vez, cedi à pressão. Enterrei-me no sofá e morri para a minha criatividade.

Mas, tal como já havia acontecido, voltei com novas ideias. Agarrada à vida e às minhas letras. Enterrando o ego, com os seus discursos ofensivos, bem junto de tudo o que não quero para mim.

Agora, é tempo de regressar a algo que me dá imenso gosto. Escrever Contos.

Indecisa sobre como me comprometer com um horário de escrita, numa vida que é tão apertada em termos de tempo livre para mim, quando me foi dada uma oportunidade de ser responsabilizada pelos resultados apanhei-a. Inscrevi-me num Desafio Literário e, de repente, lembrei-me de todo o bem que senti quando criei o meu próprio desafio 12 Meses/12 Contos.

Cresci imenso durante aqueles três anos em que me dediquei a escrever (pelo menos) um conto por mês. Encontrei pessoas, como eu, que precisavam de ajuda desinteressada com os seus contos. Aprendi tanto e nunca o esqueci.

Assim, volto aos meus contos mensais usando a desculpa “São só 7 dias”. Arranquei como pude, e nos minutos que consegui, com uma quota mínima de 1000 palavras em 7 dias. No final do dia, enviamos a contagem e respondemos a umas perguntas.

Eu tinha definido que usaria esse Desafio dos 7 dias para o meu conto de Janeiro. Escrevi-o no primeiro dia.

Algo que começou atabalhoado, cheio de sentimentos contraditórios, sem grandes ilusões sobre quem eram as personagens, e o que elas estavam a viver, transformou-se numa grande surpresa. No final, elas deram cabo de mim e recordei porque tanto me agrada o formato Conto.

Porque há tantas coisas complicadas que podem ser tratadas de formas simples. Porque há tanta sapiência em curtas palavras, muitas vezes mais do que em testamentos inteiros.

A cada final de ano eu sabia que os 12 contos produzidos eram prática. Meses havia em que era muito difícil terminar o conto, ou perdia o interesse pelo texto, ou não conseguia deslindar o que queria. Mas continuava a escrever. Até perder isso. Se concluí dois textos de ficção em três anos foi um exagero. Só me ocorre um…

Voltei a pensar que não preciso de grandes actos, coisas gigantes, declarações de guerra ou independência, e largas sessões de concentração. Preciso, sim, de fazer alguma coisa. Um minuto ou dois que seja. Neste momento é o que há. Uns minutos de escolhas. Largo tudo e corro para a única coisa que tenho de completar na hora.

O que não ficar feito, fica noutra altura, ou não fica. Mas, o mais importante, é não deixar morrer em mim aquilo que me sustém. Uns minutos aqui e ali. Projectos que completo como posso. Textos que sonho e concretizo logo. Porque não posso esperar. Porque vão desaparecer. Porque, se não me sentar para os registar, nunca mais irão voltar para me ver.

Alinho a tarefa mais importante e faço-a. Transformo-a, e aos minutos bloqueados no tempo, no meu ritual do dia, num fim em si mesmo. Este artigo é prova e exemplo disso.

Não temos tempo? Não, nunca temos tempo. Nunca teremos tempo. O que temos é Desejo. E, uns minutos aqui e ali. Click To Tweet

E, se não nos roubarmos a nós próprios, se não nos distrairmos do grande objectivo do dia, se não desistirmos, completamos a única tarefa do dia. A única que naquele instante interessa.

Porque nunca conseguimos abarcar o que é preciso. Nunca teremos a totalidade do plano. Temos dificuldades e adaptações.

Eu, eu tenho apenas este momento. De uma forma muito vívida, poderei não chegar a ter o momento a seguir. Escrevo agora. Porque, depois, não sei se estarei cá para o fazer. Escrevo com gosto. Escrevo com prazer.

E aqui vos deixo as regras do Desafio (e do Jogo):

Regras: Escrever 1 Conto por mês; Entre 1000 e 10 000 palavras; Sob o tema indicado; Publicação do Conto ou da Ficha de Progressos (Título, Inspirado em, Género Literário, Palavras, Progressos e Sinopse);

Detalhes:

  1. Escrever um Conto, por cada mês, do ano de 2018.
  2. Cada mês tem um tema que deve ser respeitado (lista de temas em anexo).
  3. O género literário será livre.
  4. O tamanho de cada conto pode variar entre as 1000 e as 10 000 palavras.
  5. Um Conto inacabado pode transitar para o mês seguinte, se o desejares, mas não será impedimento para escrever outro, nesse mês.
  6. Caso decidas abandonar um conto antes de o completares este continua a contar para o desafio e deves ter em conta tudo o que achas que falhou.
  7. Podes (e deves) usar a imagem do Desafio 12 Meses/12 Contos no teu blog (e redes sociais) como símbolo da tua participação neste projecto.
  8. O estado do teu conto (ficha de progressos) deve ser publicado nos comentários desta página (podes incluir a hiperligação para o artigo ou conto publicado, se for o caso).
  9. A ficha de progressos deve incluir a seguinte informação: Título, Inspirado em, Género Literário, Palavras, Progressos e Sinopse e hiperligação se for o caso de publicação online.

Junta-te a mim neste desafio de 12 meses/12 contos e, no final do ano terás:

  1. Uma série de contos prontos para entrarem em processo de revisão e, quem sabe, publicação;

  2. Aperfeiçoado a técnica de escrita contista (mesmo que não queiras);

  3. Um poderoso desbloqueador de Escrita que te incentiva a perseguir um texto de cada vez;

  4. A experiência de um Escritor, que não se intitula, mas que faz o trabalho para o ser na realidade.

E, assim, volto aos meus contos também…

Estes são os temas:

12 Meses12 Contos temas

Juntam-se a mim no 12 Meses/12 Contos? Já levo Janeiro de avanço com um sorriso gigante.

Subscrevam este blogue e recebam todas as novidades por e-mail.

Donate! Help support this site!

 

Um comentário em “Projecto 12 Meses/12 Contos”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.