O que vou ler este ano… Acho.

O que vou ler este ano

Quando for crescida… rica… nenhuma delas ou ambas, em simultâneo, vou ter uma daquelas bibliotecas dignas de pin do Pinterest (espreitem estes Art Corners do meu coração).

Sabem quais são? Aquelas fotos brilhantes, captadas numa grande sala, de pé alto impressionante com, pelo menos, dois andares. Preferencialmente, com uma parede total de vidro e vista sobre um Oceano. Uma secretária posicionada de frente para o mar e um cantinho de leitura à janela. E, filas e filas de livros.

É que, neste momento, só a parte dos montes de livros é que posso vislumbrar… E, não são assim em tanta quantidade como eu gostaria… nem tão organizadinhos.

Enfim… não faz mal sonhar.

Mas, enquanto andava aqui em arrumações livrescas descobri que tenho deixado as minhas leituras atrasadas. Anos houve em que lia entre 50 e 100 livros por ano. Sim, a quantidade não interessa. Mas, é com algum pesar que constato que esse hábito mudou. E, sim. Eu sei os motivos dessa mudança. Mas, eu também sei que, pouco há que me faça mais feliz do que livros.

Enquanto andava em arrumações e, punha em dia os meus podcasts semanais, descobri um novo conjunto de vídeos sobre… Livros. Claro que fiquei fã e aproveitei o entusiasmo para organizar tudo o que tenho, ali nas prateleiras, para ler.

Não sei se viram no Instagram… a minha mesa de jantar andou nestes preparos durante uns dias.

Mas, consegui organizar as coisas. Arranjei umas tags jeitosas. Arrumei o meu Goodreads com toda a informação. Alinhei os livros que quero terminar de ler, os que vou ler a seguir, e aqueles que não sei bem quando irei ler.

Todos os anos participo em alguns projectos. Um deles é o Desafio Literário do Goodreads que iniciei em 2011. Os meus resultados não são vitórias retumbantes e absolutas. Nunca são.

Tenho tendência para calcular de forma errada a quantidade de livros que consigo ler. Seja para mais ou para menos. Porque… a Vida costuma acontecer quando menos antecipamos.

Assim, em 2019 e, de acordo com o Goodreads, desafio-me a ler pelo menos 12 livros (até tenho vergonha de escrever isto! Mas, antes 12 que nenhum), em 9 categorias diferentes.

#LEITURAS CRIATIVAS

Esta é uma categoria especial porque inclui todos os livros que acredito serem importantes para aqueles, como eu, que procuram aprender sobre a arte da escrita.

Neste momento estou a ler “The Artist’s Way” da Julia Cameron. E, acho que vou demorar um bocado… Pelo menos as 12 semanas previstas + 2 semanas que já adicionei logo à partida + 2 semanas em que encalhei nos exercícios. Este livro tem 223 páginas que ficam (ou irão ficar) para a minha contabilidade.

Já em 2019, e antes do acima, li “Being Creative” de Michael Atavar, para a tag #leiturascriativas, com 156 páginas.

Nesta tag vou deixar espaço para escolher as minhas próximas leituras. Até porque, não tenho mais nenhum livro em lista de espera, mas quero adicionar pelo menos mais 500 páginas a esta contagem e sei que sou de aproveitar oportunidades quando escolho livros nesta categoria.

#STORIES ou Estórias

Nesta categoria juntei todos os livros, de diferentes géneros literários, que pretendo ler. Acho desnecessário gerir as minhas leituras por géneros específicos. Não leio só isto ou só aquilo. Leio histórias, por isso, aqui ficam as ditas.

Terminei “Triple Threat”, 3 thrillers de James Patterson, num total de 350 páginas. Acho que não comentei com ninguém quão inteligente achei esta ideia do Patterson (não sei se foi dele, mas estou a supor que sim) dos Bookshots. Gostei!

E, vou no início de “A mulher Esquecida” de Katherine Webb com 469 páginas.

Tenho 7 livros por onde posso escolher as minhas próximas leituras… Gostava de sortear a minha próxima leitura deste grupo, ou fazer uma espécie de unwrapping. Que vos parece?

Nestas leituras desejo ler um total de 1000 páginas, o que não vai ser difícil atingir com quaisquer dois destes livros na pilha dos 7. São quase todos à volta das 400 páginas e qualquer coisa.

#NACIONAIS

De autores nacionais, neste momento, tenho 2 livros à espera: “A Floresta de Sophia Andresen” com 82 páginas. E, “Um Deus passeando pela brisa da tarde” de Mário de Carvalho com 319 páginas.

Claro que, com a magnitude das obras que tenho nas restantes prateleiras, acho que vou escolher “A Floresta” para ler nesta categoria… para já.

#POESIA

Na categoria de Poesia tenho 3 livros disponíveis. Mas, comecei “Poems for Life”, uma selecção de poemas de vários autores, pelo que vou continuar com este livro, e as suas 369 páginas.

Mas, Poesia é outro daqueles géneros que não gosto de começar na primeira página e acabar na última. Gosto de ir lendo. De voltar às suas páginas, ou escolher outros, para ler diferentes poemas. Logo vejo como corre…

À espera, tenho “Orfeu Rebelde” de Miguel Torga e “The Taven and other favorite poems” de Edgar Allan Poe.

#CONTOS

Nesta categoria dos contos tenho 4 livros em espera. Não comecei nenhum pelo que vou tirar à sorte quando chegar a altura. A escolher entre Edgar Allan Poe, Eça de Queirós, Franz Kafka e Anton Tchekhov. Tendo Poe e Kafka como dois favoritos, vai ser difícil escolher…

#MIND TOOLS ou Ferramentas para a Mente

Esta é uma categoria que adoro. Nela enquadro coisas mais criativas, não ficção, ou temas que quero explorar. Esta é uma categoria que uso de forma imprevisível pois serve para aprender outras coisas.

Acabei de ler “Introdução à Arte”, de vários autores, com 144 páginas. Tenho mais 6 livros, nesta categoria, e comecei 3 deles.

Um é o “Poder do Agora”, que já ouvi o audiolivro, um monte de vezes, mas queria ler o livro. Este tem 267 páginas.

Outro é “Seja o seu próprio Life Coach” de Jeff Archer com 318 páginas. Uma leitura engraçada e útil mas que não é para ser apressada ou lida uma só vez.

O terceiro é “Daring Greatly” de Brenée Brown com 192 páginas.

Um total de: 921 páginas + 500 que pretendo adicionar de outros títulos.

#BIOGRAFIAS

Gosto muito desta categoria. Infelizmente, não leio tanto quanto gostaria. Estes costumam ser os livros mais caros e difíceis de encontrar… pelo menos, aqueles que eu quero mesmo ler.

Tenho três na minha prateleira. Comecei a ler dois deles mas ficaram de molho. Um é sobre “Raymond Carver”, com 489 páginas, e o outro sobre Auden, com 366 páginas. Como não sei quando volto a eles, não os incluí nas contagens de páginas para o objectivo final.

O terceiro livro chama-se “Grandes Vidas Breves” por José Jorge Letria, com 289 páginas. Estou desejosa de lhe pôr as mãos em cima.

#Fantasia e Ficção Científica

Juntei ambas porque não costumo procurar títulos de um género específico e, vamos ser sinceros, há uma boa parte destes livros que são difíceis de categorizar por género.

Neste conjunto tenho umas pérolas: dois magazines de publicação brasileira de 1970 e 71. Estes são um conjunto de contos de FC onde encontramos contos de autores como Asimov. Eu sei! São duas pérolas de um dos alfarrabistas da Baixa. Estes dois magazines são os mais pequenos do lote com 126 e 128 páginas… e nem têm ISBN sequer.

Comecei “American Gods” de Neil Gaiman mas há muitos meses que não lhe toco. Este menino conta 635 páginas. E, outro que comecei a ler, e não terminei, foi “Aprendiz de Assassino” de Robin Hobb. Este com 382 páginas. Qualquer um dos livros mencionados, tenho de voltar a lê-los do princípio.

Com 635 + 382 + 126 + 128 = 1271 não sei se terei espaço para mais algum desta categoria.

Ando desejosa de meter as mãos no “Jonathan Strange & Mr. Norrell” de Susanna Clarke, que ja não me recordo quando o comprei, mas são 1005 páginas. E, só por isso, ainda nem comecei. Já tenho uns quantos livros grandes a meio… E, letras miudinhas, e vista cansada, e uma porrada de desculpas…

De qualquer das formas, gostava de introduzir, também, o meu primeiro “Discworld” de Terry Pratchett. Afinal, ando há anos para lhe pegar e acho que vou gostar.

#OS CLÁSSICOS

Por fim, e na minha última categoria, tenho Os Clássicos. Estes são a pilha maior de livros para ler. Primeiro, porque ando sempre à procura deles em promoção. E, os Clássicos tendem a aparecer com mais frequência a preços convidativos. Segundo, porque há uma extensa variedade de livros que eu considero clássicos.

Nesta categoria, acabei de ler “Alice no País das Maravilhas” de Lewis Carroll, com 126 páginas, e ilustrações espectaculares.

Comecei a ler, há já uns meses, “On the Road” de Jack Kerouac, com 281 páginas. Não avancei muito na história pelo acho que terei de reler do início.

Portanto 126 + 281 num total de 407 páginas. Quero ler mais umas 500 e tenho muito por onde escolher… como “A insustentável leveza do ser” de Milan Kundera, “Demónios” de Dostoiévski, “As obras completas de Eça de Queiroz”, “Moby Dick” de Herman Melville, Virgina Woolf, Júlio Verne, Oscar Wilde, Anne Rice… sim, para mim, Anne Rice é símbolo de clássicos da literatura vampírica.

Todos eles de formato grande e pesado. Mas, lá chegarei.

Importante é não desistir.

Importante é continuar a ler. Porque ler é importante.

Especialmente, para quem gosta de escrever.

E tu? O que planeias ler em 2019?

CONTINUEM A SUBSCREVER; COMENTAR; GOSTAR; PARTILHAR; E, SE PUDEREM CONTRIBUIR EM BAIXO, ERA ESPECTACULAR.

Espero os vossos comentários com alegria e antecipação.

Donate! Help support this site!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.