Toda a verdade sobre o dia 100 do #the100dayproject

#the100dayproject

Aviso: Deixei o socialmente correcto à porta, e prossigo a escrever sobre o que foi, para mim, de facto o #the100dayproject, no dia em que os 100 dias chegam ao fim.

Se estiverem numa fase de auto-crítica, leiam. Talvez se reconheçam nas minhas circunstâncias. Se estiverem só em modo crítica, não leiam!

E, se não souberem do que falo, mas estejam interessados em saber, leiam primeiro aqui…

Podia começar por comentar que: consegui! … que adorei a experiência, que produzi bons textos, que foi a primeira vez que escrevi por 100 dias ininterruptos, que é o que nos faz falta a todos os que desejam fazer da arte da escrita uma prática regular… yada, yada, yada…

Neste momento, isto interessa-me muito pouco.

último dia
Na manhã do dia 100 do #The100DayProject

O que foi, de facto, a experiência de 100 dias a escrever ficção?

Foi:

♥ Agarrar na caneta, colocá-la no papel, e não fazer a mínima ideia do que ia escrever a seguir… há muitas primeiras frases da trampa, ali… e, não só!

♥ Aceitar que, tendo sono, levanto-me da cama sem pensar duas vezes. Dias houve em que até tonturas experienciei. É Domingo?! E, não durmo sem interrupções há uma semana?! Temos pena…

♥ Tentar explicar ao rebento de (agora) 5 anos, que a mãe se levanta muito antes dela, porque sim… e, que é melhor ela não ficar com ideias de cair da cama à mesma hora que eu, ou temos “problemas”!

♥ Teimar que, mesmo que o mote (prompt) não encaixasse como deve ser, eu o faria render o mais que pudesse. Ah! que isto proporcionou coisas lindas!

♥ Negar qualquer desculpa que me afastasse da secretária, ou do bloco de tempo designado, ou do texto em questão. Fazer, sem desculpas! Mesmo que fosse apenas meia página naquela hora dedicada. Antes meia página do que nenhuma.

♥ Não pensar. Às vezes, o melhor mesmo é recusar-me a pensar o que quer que seja sobre um assunto. Respirar fundo e não pensar. E, quão difícil para mim é não pensar?!?! A over-thinker por natureza! Horrível!

♥ Não ceder ao crítico da folha em branco. Dizer a mim mesma: não importa o que coloques na página. Tudo pode ser corrigido, apagado, modificado, quando a situação se apresentar.

♥ Gastar uma quantidade obscena de dinheiro (que não tenho!) em canetas de gel uni-ball, porque tenho dois calos monstruosos na mão direita (dedo médio e polegar), e preciso de canetas que deslizem na página…

♥ Aumentar o consumo de café matinal… porque não há determinação que se aguente sem uma chávena XXL de café!

♥ Combater o desejo de esticar o horário dedicado, ou de deixar para mais tarde. Não! Escreves das x às y horas, todos os dias, e não te queixas!

♥ Reparar, depois de ter ido levar a miúda à escola, que tenho a cara e as mãos cheias de tinta de caneta, que não sai sem esfregar…

Entre outras pérolas do género… das quais, não me queixo. A sério!

impromptuarium
O prompt escolhido para o dia 100 deste #Impromptuarium

Para alguém, como eu, que tem sérias dificuldades em não se sentir como uma impostora… Obrigada, traumas! Obrigada, condições diversas e adversas e acomodação a opiniões alheias! E, sobretudo, obrigada a MIM, que acredito sempre que consigo fazer o que quero sem ofender/contrariar ninguém. (e, porque é que isto importa sequer?) devo dizer que me sinto inclinada em seguir rumo aos 200 dias.

Porquê? Porque sou louca?! Ou, porque gosto mesmo disto?!?! Ou porque sou louca e gosto mesmo disto!

Só tenho pena de ainda não ter deslocado a hora de acordar para as 5 da manhã. Preciso reincorporar mais do que 15 minutos dedicados às morning pages… Tem sido uma complicação alocar o tempo das morning pages ao #the100dayproject… Que posso eu dizer?! Eu já não funciono bem sem elas.

Portanto, acho que se irá impor um reajuste a esta estratégia matinal. Só ainda não aceitei qual será e o que terá de ser.

Muito tempo levo eu nestas coisas de ver o que é melhor, fazer em conformidade, e aceitar o resultado do que não poderia ter sido de outra forma… Dava uma história! Ou várias…

E, é isto! Hoje, celebro os 100 dias ininterruptos de escrita de ficção, à qual chamei #Impromptuarium.

Hoje, celebro esta pequena vitória!

Sinto-me feliz com ela. Sei que para uns será pouco. Para outros será um bocadito a mais. Mas, para mim, e tendo em conta as circunstâncias, é perfeito. E, é só o que me interessa.

E, por aí?

pergunta

Aguardo comentários…

Obrigada e Até Breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.