Uma Descrição Luxuriante

pausa de domingo

Olá a todos! Sejam bem-vindos a mais uma [pausa de domingo].

Fecha os olhos. Descreve 10 objectos que estão, neste momento, à tua volta… Relembra a posição, o aspecto, a quantidade, e tudo o que consigas sobre o ambiente que te rodeia.

Quando for necessário movimentares-te nesse espaço, sair à pressa, evitar obstáculos, até percorrê-lo de olhos fechados, esta é a técnica que, quando aperfeiçoada, te permite fazê-lo.

Este era um dos exercícios que uma personagem ensinava a outra, num episódio de uma das séries que vi esta semana, e que fazia parte do treino militar. Neste caso em específico, era o que permitia a um assassino a soldo efectuar uma perseguição com sucesso, eliminando o alvo como objectivo final.

Em circunstâncias operacionais, o soldado era enviado em perseguição de uma pessoa e, através do reconhecimento do espaço e da rápida memorização do que encontrava, permitia que a localização, a execução do alvo, e a posterior retirada do local fossem executadas com sucesso e precisão.

Na versão treino para escritor…

Observa o espaço à tua volta. Fecha os olhos, e descreve dez coisas sobre o espaço à tua volta.

Grava a descrição (por ex: no telemóvel) ou regista-a em papel (sem permanecer no espaço descrito).

Este é um exercício decente para lidar com a Síndrome do Quarto em Branco (Artigo em EN: Edit the White Room Syndrome in your writing).

É um bom desbloqueador de descrições.

É uma técnica de treino de capacidade de atenção e de memorização sobre o que nos rodeia.

O que este exercício nos proporciona?

Uma das vantagens de integrar conhecimentos de diferentes áreas passa por esta exposição, subsequente possibilidade de adaptação à necessidade que temos, e pela integração naquilo que sabemos, conjugando-o de forma criativa para resolvermos aquela situação que precisa ser trabalhada.

Outra vantagem consiste em conseguir resultados que desejamos, quando nos dedicamos a procurar e integrar conhecimentos diferentes dos que temos.

A maior vantagem e o treino não apenas da capacidade de memorização, mas também da minúcia na descrição das ambiências que nos rodeiam e, subsequentemente, dos mundos que construímos nos nossos escritos.

Reunir formas de identificação de objectos, treinar o acto descritivo, afinar o vocabulário de acordo com o que precisamos ilustrar por palavras, re-imaginar ambientes e criar palavras que os definam… são partes de uma técnica descritiva que se quer fluída e interessante, mesmo se objectiva e realista.

Experimentem.

Faz-me lembrar os vídeos do canal Terravibe. Na escolha deliberada de objectos, em ambiências temáticas, cheias de magia e sonhos. Um produto que considero vir de processos de identificação, e junção de objectos, que nos proporcionam uma experiência, uma história, em si mesma, num Universo temático específico.

Tanto se pode fazer, tantas obras de arte que se podem criar, com um simples resumo daquilo que vimos num determinado momento. É só notar e re-imaginar… parece fácil, não é?

Desejo-vos uma excelente pausa de domingo.

Obrigada e Até Breve!

***

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: