Recursos do Escritor: Holly Lisle

E tal como já tinha mencionado no post “(Escritores) Aventureiros precisam-se”, o site da Holly Lisle pertence à lista de recursos do escritor. Toneladas de informação de alguém que, passou todas as fases de uma aspirante a escritora, até se tornar numa autora com 30 livros publicados. Outra parte da vida profissional de Holly, que podemos encontrar no seu site, são os cursos de orientação para escritores.

Espreitem este artigo: “How to start a novel read more

Recursos do Escritor: The Creative Penn

E, já que falava de recursos para o escritor, e no seguimento do desafio lançado há umas semanas neste Blog, começo pelo site da autora/blogger/formadora/consultora Joanna Penn. read more

Ler e escrever em Português, ou noutra língua?

Ler é um prazer, uma diversão e um escape. Ler as versões originais, acrescenta-lhe a especiaria que lhe dá mais sabor. A versão original de um livro, filme, peça de teatro, música, contém em si mesma algo que nunca poderá ser reproduzido numa tradução.

70% dos livros que leio são traduções de obras de autores ingleses/americanos. Destes 70% mais de metade são mesmo na versão original. Mas como dizia o meu pai, “tudo na vida tem 50% de coisas boas e 50% de coisas más”, o que significa que por um lado aprofundo os meus conhecimentos de Inglês, mas por outro danifico o meu Português. read more

Satisfação VS Tarefas: As fases de escrever um livro

O processo de escrever um livro, descrito graficamente. O post é do site AuthorCulture, a ideia original do escritor britânico Ed Young, e representa as fases que um escritor passa, desde o momento em que a ideia surge, até à entrega so manuscrito ao editor.

Delirei com as ditas fases, e se tirar aquela parte de tentar vender a ideia ao nosso agente literário/editor (em Portugal o processo é um bocadinho diferente), o processo de escrever um livro é basicamente isto: read more

As personagens são pessoas normais

Confirma-se. As personagens são pessoas normalíssimas, que vivem as suas vidas mais agitadas ou mais calmas, que têm um passado, um presente e um futuro, que nos tocam e modificam, se nos relacionarmos com elas.

Construir uma personagem é olhar para uma pessoa de carne e osso, dotada de aparência física, personalidade e “bagagem” emocional. E é ao fazermos dela uma pessoa normal que torna possível relacionarmo-nos com ela. read more

A Ideia por trás da História

Percepção”, o meu primeiro manuscrito, nasceu num período conturbado. Excesso de trabalho, num ambiente péssimo, juntando uma família exigente, um marido ocupado e uma casa por minha conta, tinha aqui a mistura ideal que motivou a Mudança.

As minhas horas livres eram passadas a vegetar, sentada no sofá da sala, na frente do televisor e com um computador portátil ao colo. Mas como diz a música “eu não sou audiência para a solidão”, e um filme de Domingo à tarde veio despertar em mim a vontade de ler o livro por trás daquela película tão estranha e cativante. read more

Sobre “Escrever”, a nova Categoria das 6ªs feiras

Um compromisso assumido publicamente é algo difícil de quebrar. Ou deveria ser, pelo menos para aqueles que honram os seus compromissos. Eu assumi um compromisso com este blog, assumi uma rotina, desenvolvi ideias e escrevi, com há muito tempo não o fazia na blogosfera.

Este blog é um compromisso na minha tentativa de criar uma plataforma online para a minha escrita. Neste momento, ainda representa um esforço muito incipiente na prossecução dos meus objectivos, mas lá chegarei. read more