Recursos do Escritor: A Quadra Social do Autor

Recursos do Escritor- A Quadra Social do Autor

Longe vai o tempo em que ser escritor significava publicar e desaparecer fisicamente do escrutínio público. Actualmente, um jovem escritor é alguém que vive (ou deveria viver) nas redes sociais mostrando aquilo que faz.

A necessidade de exposição pública tem sido abordada em vários artigos aqui neste blogue e este é um daqueles que pretende incentivar uma gestão inteligente da vida virtual do autor.

Ignorar o facto de que uma boa plataforma social faz milagres nos mercados da actualidade é colocar-se numa posição desvantajosa perante todos aqueles que usam eficazmente estas ferramentas.

Pessoalmente considero que a quadra sem a qual o autor não deve viver consiste em criar e manter religiosamente actualizadas as seguintes plataformas:

1 . Um blogue/website

Claro que nem todos têm como suportar os custos e o trabalho que envolve desenvolver e manter um website actualizado. Mas foi para isso que se criaram os blogues, qualquer que seja o domínio utlizado (blogger, wordpress, sapo, tumblr…), estes são verdadeiras plataformas que expõem de forma rápida, fácil e organizada, os nossos conteúdos e potenciam a nossa aproximação do público. Quando geridos de forma inteligente são uma alavanca perfeita para o autor desconhecido (14 dicas para um blogue atractivo).

Mesmo que a escolha do autor recaia sobre um website completo, com toda aquela parte que envolve programação, marketing e design, é sensato manter um blogue actualizado onde os leitores possam relacionar-se connosco ao lerem aquilo que produzimos, em oposição àquilo que a publicidade dita. Um website não deve ser apenas uma página onde se faz publicidade às obras publicadas, deve ser um ponto de contacto com o autor.

Um blogue é uma forma de praticarmos a nossa escrita e de mostrarmos a quem lê aquilo de que somos feitos, seja de palavras práticas ou de desaires inspirativos, colocando-nos em comunicação constante com aqueles que são as pessoas mais importantes na nossa arte, os leitores.

2. Uma página de Facebook

Gostem ou odeiem, o Facebook é a maior rede social mundial. E não falo só de números, apesar destes serem importantes, falo de verdadeira comunicação entre as pessoas usando vários meios de interacção que podem ir desde a simples declaração de estado de espírito (o tradicional ‘Gosto’), passando pelas mensagens privadas (a versão facebookiana de emails), o chat (autênticas salas de conversação em grupo ou a dois) até à publicação de conteúdos próprios (nos feeds de notícias) (31 ideias para promover a tua página de facebook).

A interligação entre a informação publicada nos blogues e este monstro azul (através do Networkedblogs) é outra vantagem, poupando tempo na partilha e consulta de informação. O Networkedblogs é uma aplicação muito eficaz que nos permite publicar automaticamente os nossos artigos no Facebook e seguir os blogues que mais nos agradam.

A criação de uma Página em oposição a um Perfil pessoal é uma decisão a tomar cautelosamente. O correcto seria criar uma página de autor mas, muitas vezes, acabamos arrastados pela primeira vaga de incentivo à adesão ao Facebook e só consideramos as implicações de misturar privado e público demasiado tarde. A página é a opção sensata, mas se forem como eu acabaram com um perfil pessoal que engloba mais do que eu desejaria…

3. Um perfil no Linkedin

Debati algumas vantagens e perigos desta plataforma social quando, há mais de um ano, decidi inscrever-me nela. Continuo a advogar que é perigoso deixar tantas informações confidenciais por aí mas esta plataforma tem provado que é no risco que se escondem as melhores oportunidades.

Este site é uma espécie de Curriculum Vitae disponível para todos aqueles que estejam interessados em procurar ou oferecer trabalho. Dispondo de várias funcionalidades como, mensagens privadas, atribuição de referências pessoais, grupos com interesses em comum, identificação de cargos e empresas, entre outras, este espaço pode proporcionar um mundo de oportunidades a nível mundial.

A maior desvantagem desta plataforma é, para aqueles que como eu têm mais do que uma actividade, terem de escolher um perfil público e verem minimizadas as suas hipóteses de trabalhar numa das áreas a que se dedicam. Por cá, ainda somos esquisitos com a dupla ocupação.

4. Um utilizador do Goodreads

Esta é uma plataforma que serve, em simultâneo, o nosso escritor e leitor interior. As suas funcionalidades passam por incorporar os livros que lemos e as opiniões que temos deles em prateleiras pessoais, por escolher aquilo que queremos ler, por permitir que nos liguemos a outros leitores e escritores, por proporcionar uma plataforma de divulgação das nossas obras carregada de informação útil, opiniões, citações e possibilidade de organização de concursos e exercícios lúdicos, entre muitas outras vantagens (onde mais uma vez se inclui a interligação entre goodreads, blogue pessoal e facebook).

Um bom escritor é um ávido leitor e esta ferramenta serve para apaziguar ambas as partes do nosso ser literário (Ano e meio de Goodreads).

Existe uma quantidade infindável de redes sociais que surgem todos os dias e morrem mais depressa ainda. Mas estas quatro são, na minha opinião, os pilares duma estratégia de marketing inteligente para todos os autores que entendem a necessidade de divulgar aquilo que escrevem.

P.S.: Há por aí mais umas quantas que figuram da lista alargada como o Twitter, o YouTube, o Google+, o Pinterest… Pessoalmente uso-as continuadamente para aquilo que servem sem permitir que consumam o meu tempo útil em demasia, pois quanto mais inteligente e automática for a relação entre estas plataformas, mais facilitada fica a tarefa de actualizar a informação e mais depressa elas se convertem em oportunidades.

Há algumas outras plataformas que considerem essenciais na vida pública de um autor?

O que acham da relação entre exposição pública e marketing pessoal?

ΦΦΦΦΦ

Deixem aqui os vossos comentários ou enviem e-mail para: sara.g.farinha@gmail.com

Uma opinião sobre “Recursos do Escritor: A Quadra Social do Autor”

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *