2020: não me canso de ti

Criatividade requer Coragem

2020. Bonito nas suas curvas e interessante nas suas voltas. MMXX, até em numeração romana, 2020 fica bonito… e, diz que, MMXX vai ser um super carro da Maserati.

Espero que 2020 nos traga mais Criatividade. Mais organização nos trabalhos que temos. Mais sucesso nos projectos que escolhemos concluir. Para além de, todas as outras coisas, que espero que 2020 nos traga… como Saúde, Dinheiro, Felicidade, Amizade, Amor.

Espero poder contribuir, pelo menos, numa parte: Inspiração Criativa para que persigam os vossos projectos pessoais. Já que oferecer Saúde não passa aqui, pelo meu modesto departamento, com muita pena minha.

Este artigo é uma espécie de resumo das actividades criativas do ano passado, do qual vou passar a escusar-me de o nomear pelo seu número, por motivos que só a mim pertencem. (Vai lá à tua vidinha e não voltes com as mesmas energias.)

Perguntam vocês: Em que é que isto serve a minha escrita? Passo a explicar.

Espero contribuir para as vossas práticas criativas, sejam elas escrita, pintura, artesanato, contabilidade, ou o que quer que seja, que vos ligue o Motor Criativo.

A ideia passa por recolher experiências diversas que enriquecem a nossa escrita (com saber de experiência feito). Criar novas, e diversas, ligações mentais explorando a diversidade de actividades, que podemos recriar todos os dias, e nos momentos que temos livres. Arranjar mecanismos que nos tragam para aquele momento em que nos sentimos inspirados e desejamos criar.

Reconhecer o Flow criativo é tão importante como reunirmos a força de vontade para nos sentarmos a escrever.

É tão fácil perdermo-nos nas rotinas, no trabalho, nas coisas que somos obrigados a fazer que, quando temos uns míseros minutos para nós próprios, nem sabemos o que fazer com eles. E, as redes sociais não são coisas inspiradoras, ou que nos alimentem a alma com o adubo certo.

Assim, espero poder acrescentar umas ideias que vos levem a perseguir passatempos que gostam ou a descobrir actividades que desfrutam com verdadeiro prazer. Sem preguiças à mistura, e contribuindo para uma prática criativa que nos ajuda, a todos, a desligar do stress inerente dos trabalhos do dia-a-dia.

Quero incentivar-vos a perseguir uma prática criativa diária porque eu sei que preciso de me relembrar, diariamente, que também preciso dela. Quero partilhar convosco ideias e inspiração, porque também preciso delas, recolhendo o que partilham comigo para encher o meu poço criativo.

Há muito que investigo como superar bloqueios criativos… Relembro a importância dos 13 factos sobre a Criatividade. Continuo a subscrever a ideia de que Projectos diferentes alimentam a Criatividade, como podem ler aqui… e acredito que devemos usar o nosso tempo com propósito, reunindo aquilo que nos faz felizes, e que contribui para o que gostamos de fazer.

Olhando para trás, vejo que tenho recolhido algumas actividades criativas e tenho partilhado, com quem me lê e segue nas redes sociais, algumas ideias sobre elas. Sintam-se livres de praticar as que vos inspirarem mais e de partilharem comigo os vossos resultados, por e-mail ou comentário, nas diferentes plataformas.

Assim, aqui ficam as actividades do momento:

Fotografia

Há uns anos descobri uns desafios de fotografia que adaptei ao meu género de prática criativa. O original, como podem ler aqui…, decorria em 30 dias seguidos e consistia em escrever uma carta e tirar uma foto alusiva a um tema em cada dia. Essas fotos podiam ser partilhadas nas redes sociais, ou podiam ser só para contemplação pessoal.

Na minha adaptação, tiro fotos todos os dias, de coisas que considero relevantes… quando gosto de um ambiente, ou vejo um objecto que me inspira, ou porque houve algo importante a reter nesse dia.

Na maioria das vezes, a partilha é feita apenas no meu Instagram, e só quando escolho fazê-lo. Por vezes, gosto de escrever um pequeno poema/prosa poética a acompanhar. Noutras vezes, sigo as listas de temas dos desafios originais e não escrevo nada. Noutras vezes, ainda, escolho não publicar a foto do dia… Depende do meu estado de espírito. Mas, quase todos os dias tiro fotografias… e, tenho um aditivo de espaço pago na nuvem, e uma impossibilidade de guardar seja o que for no google photos, que não me deixam esquecer.

Para que servem tantas fotos?

Para escrever sobre elas ou sobre sentimentos que, determinada paisagem ou objecto, evocam. Para usar como base de dados de imagem para os meus artigos aqui no blog. Para relembrar os meus dias e fazer videos curiosos sobre os tempos passados com a minha filha nos seus primeiros anos de vida. Para ir praticando algumas técnicas e ir acrescentando esse conhecimento. Para desenvolver o meu sentido de estética e a capacidade de localizar aquela coisa que daria uma foto perfeita. Para me deixar satisfeita por poder fotografar… é algo que nem todos podem fazer.

Artesanato

Aquele momento em que, na escola, nos pedem para fazer um objecto para os meninos levarem para celebrar alguma coisa… Adoro. Dá-me o tema que preciso para fazer uma das coisas que mais me agrada: criar adereços de festa temáticos.

Para que servem?

Uns servem como prendas. Outros são decoração de festas de aniversário. Outros relembram que devemos agradecer e celebrar certas coisas. Outros, ainda, são muito úteis… desisti de comprar suportes para telemóvel, por exemplo, entre outras coisas.

Pintura

Mixed Media tem sido uma grande aventura. Fiz um pequeno curso sobre as cores e, depois, subscrevi umas aulas de pintura e mixed media em 2018. Agora, e quando tenho disponibilidade, não digo “Não” a uma formação em qualquer técnica que me permita usar mais materiais. No mês passado consegui levar a minha miúda a um workshop de plasticina. Adorámos!

Para que servem?

Para os projectos de Artesanato. Porque pintar é uma espécie de meditação para mim. Para aprender a conjugar coisas que não usaria em conjunto de outro modo. Para saber mais sobre cores e materiais diversos.

Journaling

Ah! Os famosos Diários… Cedi e digo-vos que o conceito de Morning Pages, tal como formulado por Julia Cameron, no livro ‘The Artist’s Way‘, e aconselhado por tantas escritoras conhecidas, funciona. Ao fim de uns meses descobrimos o desbloqueio de coisas que não sabíamos que estavam ali paradas sem saberem para onde fluir.

Não as escrevo todos os dias. Com muita pena minha. São, pelo menos, 45 minutos de coisas ininterruptas a voarem pela minha mente e a aterrarem numa página. Posso testemunhar que, quando acabamos a enxurrada inicial de coisas desconexas, que estamos para ali a cuspir para a página sem sabermos bem porquê, começamos a notar que a escrita muda e os temas também.

Para que servem?

A princípio pensei: “Certo! Não tenho tempo para escrever histórias e agora vou perder tempo a escrever Diários, que sempre odiei?!”

Depressa descobri que preciso “perder tempo” para descobrir o verdadeiro valor do tempo. Descobri, também, que há coisas que ficam paradas no tempo, que não desconfiava sequer que lá estivessem, e que nunca teria a oportunidade de as trabalhar, se não lhes tivesse dado um veículo para virem para o centro da página.

Podcasts

Os programas áudio servem-me bem. Naqueles momentos, em que não posso usar nenhum dos meus outros sentidos, posso escutar qualquer coisa útil. Ouvir aquilo que outros pensam. Relembrar uma história de um livro ou ouvir um livro. Aprender sobre temas que me interessam ou aprender a respirar…

Oiço os meus programas (como as velhinhas ouviam na rádio) nos Podcasts da Apple e no Soundcloud. Outros vou, directamente, às fontes e oiço nos websites das pessoas que os criam.

Ler

Esta viagem começou com livros. Muitos livros. A maioria provenientes da biblioteca do meu pai. Esforço-me por ter sempre uns livros de vários géneros em lista de espera. Alguns degusto durante meses. Outros, leio num instante. Uns servem para tirar notas. Outros, para me divertir. Em papel, ebook, o que vier… Concordo com a maioria dos escritores quando dizem que, não o poderiam ser se não fossem grandes leitores.

Cinema/Séries/Documentários

Tenho, infinitamente, menos tempo para todas estas actividades mas, sempre que posso, espreito o que há para ver nestes canais. Star Wars, Vampire Wars, Virgin River, The Witcher, Drácula, Explained…

Natureza/Sair/Mexer-me

Actividades que também não pareço ter grande aumento de frequência, apesar de saber que preciso passear, e de gostar bastante de o fazer… Algo a reter para fazer em 2020.

A minha Palavra para 2020

Continuo adepta deste exercício anual. Não vou alongar-me aqui em explicações. Podem ler tudo sobre este Desafio Criativo aqui… e aqui…

Na habitual retrospectiva anual, e da última década, porque 2020 convidava a olhar para trás… identifiquei, prontamente, 3 Palavras/Expressões que precisei considerar. Depois de uns exercícios, e bastante reflexão, optei por: Coragem.

Por fim, relembro que todas estas actividades, assim como muitas outras não mencionadas aqui, servem um propósito maior: Escrever.

Muitos de vós incluiriam Viajar,  ou Pescar, ou Provar Vinhos, ou qualquer outra coisa assim interessante e divertida. Se é o que vos enche o poço criativo, p.favor, incluam-no nos vossos eventos especiais ou, se possível, nas vossas rotinas… Não quanto à prova de vinhos. Esqueçam lá as rotinas potencialmente destrutivas.

Façam mais do que gostam e tirem notas. Vão ser-vos úteis mais tarde.

Partilhem connosco o que gostam de fazer enquanto escrevem. O que alimenta a vossa imaginação e a vossa escrita?

2 comentários em “2020: não me canso de ti”

  1. Há muito tempo que não me via interessada de verdade por um blog e apenas com este texto você me despertou não só a curiosidade como a mão para enfim joga la na massa em relação as ideias que tinha para mim em 2020. Obrigada pelo chamado de volta a terra, um bom ano pra ti.

    1. Olá, Mariane. Obrigada pelas tuas palavras. Fico muito feliz por poder ajudar 🙂 Um Bom Ano de 2020 para ti e que concretizes todos os teus projectos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.